Publicada em 06/09/2017 19:00:00




Na terça-feira (05), o líder no Congresso Nacional André Moura (PSC-SE) esteve no Ministério da Fazenda, acompanhado do secretário do Governo de Sergipe em Brasília, Heleno Silva, para audiência com o secretário-executivo do órgão, Eduardo Guardia. Em pauta, a prorrogação do prazo para renegociação da dívida dos produtores rurais. 

O pleito de André Moura, representando os agricultores, é a prorrogação do prazo para adesão, por parte de produtores rurais do Norte e Nordeste, ao programa de renegociação e descontos das dívidas de agricultores atingidos pela seca nos últimos anos, instituído por meio da Medida Provisória 733 aprovada em setembro de 2016, por mais um ano. 
Pelas regras atuais em vigor, são oferecidos descontos de até 95% aos agricultores que contraíram dívidas com o Banco do Nordeste e Banco da Amazônia. Contudo, só terá direito a obter as vantagens na renegociação das dívidas quem aderir ao programa até o final de dezembro de 2017.
De acordo com o líder, esse prazo torna inviável a adesão por parte dos agricultores endividados, vez que eles não têm condições de pagar os débitos e contrair novas despesas em virtude da falta de capital. “O pedido que apresentei ao Ministério da Fazenda é para prorrogar até o final do ano que vem o prazo aos produtores rurais que têm interesse em quitar as dívidas. Eles têm o desejo de pagar, mas necessitam de um prazo maior e estamos em negociação para viabilizar isso”, afirmou André.
Para Heleno Silva, a conversa foi positiva. “O pedido apresentado é legítimo e imagino que o governo se sensibilizará. Muitos desses agricultores ainda estão endividados por conta das últimas secas e não conseguem pagar tudo até dezembro deste ano. Os técnicos da Fazenda farão um estudo do impacto financeiro da prorrogação do prazo por um ano e nos darão uma resposta em até 15 dias. Essa medida será de grande valia para todos esses produtores rurais do Norte e Nordeste”, comentou.
AssCom/AM

Na terça-feira (05), o líder no Congresso Nacional André Moura (PSC-SE) esteve no Ministério da Fazenda, acompanhado do secretário do Governo de Sergipe em Brasília, Heleno Silva, para audiência com o secretário-executivo do órgão, Eduardo Guardia. Em pauta, a prorrogação do prazo para renegociação da dívida dos produtores rurais. 

O pleito de André Moura, representando os agricultores, é a prorrogação do prazo para adesão, por parte de produtores rurais do Norte e Nordeste, ao programa de renegociação e descontos das dívidas de agricultores atingidos pela seca nos últimos anos, instituído por meio da Medida Provisória 733 aprovada em setembro de 2016, por mais um ano. 

Pelas regras atuais em vigor, são oferecidos descontos de até 95% aos agricultores que contraíram dívidas com o Banco do Nordeste e Banco da Amazônia. Contudo, só terá direito a obter as vantagens na renegociação das dívidas quem aderir ao programa até o final de dezembro de 2017.

De acordo com o líder, esse prazo torna inviável a adesão por parte dos agricultores endividados, vez que eles não têm condições de pagar os débitos e contrair novas despesas em virtude da falta de capital. “O pedido que apresentei ao Ministério da Fazenda é para prorrogar até o final do ano que vem o prazo aos produtores rurais que têm interesse em quitar as dívidas. Eles têm o desejo de pagar, mas necessitam de um prazo maior e estamos em negociação para viabilizar isso”, afirmou André.

Para Heleno Silva, a conversa foi positiva. “O pedido apresentado é legítimo e imagino que o governo se sensibilizará. Muitos desses agricultores ainda estão endividados por conta das últimas secas e não conseguem pagar tudo até dezembro deste ano. Os técnicos da Fazenda farão um estudo do impacto financeiro da prorrogação do prazo por um ano e nos darão uma resposta em até 15 dias. Essa medida será de grande valia para todos esses produtores rurais do Norte e Nordeste”, comentou.


AssCom/AM

Fotos: Nefy Dias