Publicada em 08/09/2017 13:18:00

A política odienta praticada por adversários do líder no Congresso Nacional André Moura (PSC-SE) tenta, desde a noite desta quinta-feira (07), usar a imprensa e grupos de WhatsApp para, a todo custo, envolvê-lo num suposto episódio de agressão. A Turma do Ódio e da Inveja difunde uma mentira deslavada e descarada, que merece repúdio: o factoide da agressão a um falso radialista no município de Japaratuba na noite de ontem, quando, na verdade, o único agredido – pela mentira e por acusações levianas, em um nítido caso de assédio moral – é o deputado André Moura.

Um grupo de cinco senhoras reivindicava à prefeita Lara melhorias para uma localidade. De forma ostensiva e falando alto, o falso radialista – o suposto agredido –, interrompeu o diálogo, exigindo uma posição da prefeita. Ela pediu calma e um tempo para se colocar a par das solicitações. Neste momento, insatisfeito, o falso radialista se dirigiu a André Moura, que acabava de chegar ao local e, gritando, reclamava a devolução de um aparelho celular supostamente tomado dele. Em seguida, saindo do local sem que tivesse sequer havido um diálogo entre ele e André Moura, o falso radialista passou a gritar no meio da multidão: “deputadozinho, deputadozinho”.

A questão é simples: o desfile cívico da Independência do Brasil se encerrou na frente da casa da prefeita e quase mil pessoas aguardavam o início do show que começaria em pouco tempo, será que uma confusão como a narrada pelo falso radialista ocorreria sem que ninguém a tivesse presenciado, fotografado ou gravado, já que envolvia o marido da prefeita, por mera “coincidência”, justamente André Moura? Por que não há testemunhas, fotos ou vídeos da suposta confusão, se havia centenas de pessoas naquele momento com celulares em mãos, gravando a festa?

Em razão dos fatos narrados e da nítida tentativa de transformar um episódio que jamais ocorreu em factoide político, a fim de usá-lo contra o deputado, e por ter sido André Moura a única verdadeira vítima de agressão, assédio e da leviandade de um falso profissional de imprensa, acostumado a detratá-lo e à gestão da prefeita Lara todos os dias, o parlamentar acionou os seus advogados para que encaminhem à Justiça ação por calúnia, injúria e difamação, além de um processo contra sua honra, por assédio moral.

A mentira não prevalecerá, e àqueles que tentam tirar proveito de um fato que jamais existiu, com o objetivo de prejudicar o deputado, fica o alerta: hoje foi André Moura, amanhã poderá ser você.

AssCom/AM